GRUPO É PRESO POR DESVIO MILIONÁRIO DE SOJA NO PR

   Cinco pessoas foram presas quarta-feira, 11, por participarem de desvios de grãos de soja da cooperativa Coamo, no período de março a setembro de 2013. As prisões acontecerem durante a Operação Porto Seguro, deflagrada pela Delegacia de Estelionato e Desvio de Cargas, com o apoio da Delegacia de Furtos e Roubos, Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) e Subdivisão de Paranaguá. O prejuízo é estimado em quase R$ 2 milhões. 
                                 
   Foram cumpridos mandados de prisão em Curitiba, Paranaguá e Matinhos. Estão presos Joselito Tadeu Castomon, Jandir Maria Manica, Ezequiel de Almeida Garcia, Cícero Marcelo Ferreira dos Santos e Rafael Ribeiro de Freita. 
                                 
   "Com as prisões destas pessoas avançaremos ainda mais para chegarmos aos receptadores das cargas desviadas. É um trabalho de inteligência que vem surtindo excelentes resultados. Continuaremos nas diligências com o objetivo de capturar outros seis foragidos", disse o delegado da Delegacia de Estelionato e Desvio de Cargas, Marcelo Lemos de Oliveira. 
                                 
   Todos os envolvidos vão responder por furto qualificado, associação criminosa, falsidade ideológica e uso de documento falso. "Somente nos últimos trinta dias deflagramos três importantes operações. A Operação Porto Seguro, com foco no desvio de cargas, a Operação Orixás, que teve como alvo uma quadrilha de cartomantes, e Operação Patrono, onde prendemos uma advogada que praticava estelionatos em Curitiba. Foram meses de investigações nestes três importantes casos", disse o delegado-adjunto da Delegacia de Estelionato e Desvio de Cargas, Matheus Laiola, que comandou as investigações. 
                                 
   INVESTIGAÇÃO - Segundo as investigações, 43 caminhões carregados de soja foram desviados, causando um prejuízo de quase R$ 2 milhões para a empresa. Descobriu-se que 36 toneladas de soja foram desviadas pela associação criminosa no período de sete meses. 
                                 
   As prisões começaram em 26 de setembro. Foram presos em flagrante os funcionários da empresa Felipe Andreoli Miguel, Jeferson Siqueira da Silva e Alex Sander de Oliveira, além do motorista Vanderlei Manera. Também foram apreendidos dois caminhões bitrens e uma carga de soja ainda intacta. "De lá para cá, várias diligências foram realizadas", lembrou Laiola. Durante a investigação foram identificadas outras 12 pessoas envolvidas.
 
 
 
 
 
Fonte: BondeNews