SÓCRATES FALECE NESTE DOMINGO, JOGADOR MARCOU ÉPOCA NA SELEÇÃO E NO CORINTHIANS

04/12/2011 11:16

 

Internado desde a noite da última quinta-feira, em razão de uma infecção intestinal causada por bactéria, o ex-jogador Sócrates, de 57 anos, morreu às 4h30 desta manhã de domingo. Ele havia apresentado uma leve melhora ontem. O quadro clínico do ex-atleta, que estava na UTI do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, encontrava-se estável, mas, segundo os médicos, ainda era considerado grave.

Segundo nota divulgada pela assessoria de imprensa do hospital, Sócrates Brasileiro Sampaio de Sousa Vieira de Oliveira faleceu em consequência a um choque séptico. Ele estava sedado e respirava por aparelhos. Os rins de Sócrates passaram por um processo de diálise para ajudar a filtrar as impurezas do sangue - apesar disso, os rins não estariam prejudicados. Segundo nota anterior do hospital, o ídolo da fiel torcida corintiana iria ficar em observação, na UTI, por mais 72 horas.

Esta terceira internação do ex-jogador nos últimos quatro meses teria sido causada por um estrogonofe. Sócrates, sua mulher e um amigo teriam passado mal após o almoço na quinta-feira, no restaurante de um hotel em São Paulo.

Ele foi internado pela primeira vez em 19 de agosto, com uma hemorragia digestiva causada pelo consumo prolongado de álcool. Foram nove dias hospitalizado. Em 5 de setembro, o ex-jogador voltou a ser internado - desta vez, por mais 17 dias. Com o fígado comprometido por uma cirrose hepática, o ex-atleta - uma das estrelas da seleção brasileira na Copa do Mundo de 1982 - precisava de um transplante para voltar a ter vida normal. Sócrates deixa seis filhos.

 

Na Seleção

Sócrates marcou a história da seleção. Foram oito anos com a camisa verde-amarela, às vezes azul, de 1979 a 1986. Não foi campeão do mundo, é verdade. Mas disputou duas Copas, a de 1982, com brilho intenso, e algumas de suas 63 atuações pela equipe nacional jamais serão esquecidas.

Pode-se dizer que Sócrates chegou tarde à seleção, pois a primeira convocação veio quando tinha 25 anos. Com seu jeito esguio e elegante, a técnica apurada, inteligência, objetivo e visão ímpar de jogo, porém, marcou época, notadamente naquele esquadrão montado pelo técnico Telê Santana em que tinha a companhia de Zico, Falcão e Cerezo, entre outros craques.

Um time que conviveu com a frustração de uma inesperada eliminação para a Itália no Mundial da Espanha. Mas teve a glória do reconhecimento como um dos melhores do planeta em todos os tempos.

Sócrates estreou na seleção sob os olhares de 60.627 pessoas que pagaram ingresso para ir ao Maracanã num 17 de maio de 1979. Viram ótima atuação do "Doutor" e um acachapante 6 a 0 sobre o Paraguai. O primeiro gol com a amarelinha viria 14 dias depois, também no Maracanã, num amistoso contra o Uruguai.

Um gol, não, pois Sócrates marcou duas vezes naquela ocasião. Na terceira partida pela seleção, mais dois gols, e um desempenho antológico num 5 a 0 sobre o Ajax, no Morumbi. O meia marcaria outras 23 vezes defendendo o Brasil, quatro delas em Copas do Mundo - contra União Soviética e Itália em 1982 e contra Espanha e Polônia em 1986.

E foi na Copa do México que Sócrates se despediu da seleção, no jogo que também marcou a despedida do Brasil no Mundial. Foi em 21 de junho, naquele 1 a 1 com a França, que depois levaria a melhor nos pênaltis. O "Doutor", aliás, perdeu uma penalidade na ocasião, defendida pelo goleiro Bats.

Com Sócrates em campo, a seleção venceu 41 vezes, empatou outras 17 e saiu derrotada em apenas cinco partidas. O meio-campista não conquistou nenhum título pelo Brasil, mas nem isso o impediu de ser considerado um dos grandes do futebol brasileiro.

Sócrates, em uma das suas últimas aparições, após ser internado duas vezes. Foto: Zé Paulo Cardeal / TV Globo/Divulgação

 

O velório e o enterro do ex-jogador Sócrates, 57 anos, acontecerá na cidade de Ribeirão Preto, onde ele iniciou sua trajetória no futebol, na equipe do Botafogo. O corpo do ídolo corintiano já deixou São Paulo e chega à cidade do interior paulista às 13h, onde será velado no Cemitério de Campo Bom. O enterro de Sócrates está previsto para acontecer minutos antes do início da rodada final do Campeonato Brasileiro, que pode ter o Corinthians como campeão - o time alvinegro disputa o título com o Vasco.

O ex-jogador não resistiu a terceira internação em cerca de quatro meses e morreu nesta madrugada de domingo, em São Paulo. O Hospital Israelita Albert Einstein, local onde o ídolo corintiano estava internado desde a noite da última quinta-feira, confirmou a notícia por intermédio de boletim médico emitido às 5h30 (de Brasília).

Ainda segundo o hospital, o ex-jogador morreu às 4h30 em consequência a um choque séptico (infecção generalizada causada por bactéria). Natural de Belém, no Pará, Sócrates Brasileiro Sampaio de Souza Vieira de Oliveira deixa a mulher, Kátia, e seis filhos.

Essa havia sido a terceira vez que o ex-meia foi internado nos últimos quatro meses, sendo as duas anteriores por hemorragia digestiva decorrente do consumo prolongado de álcool.

Durante a primeira internação, em agosto deste ano, o ex-atleta ficou na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital por nove dias. Chegou a ser submetido a uma cirurgia que teve sucesso, permitindo a recuperação. Após a primeira internação, Sócrates afirmou que o susto fez com que ele mudasse de atitude em relação à bebida.

No dia 5 de setembro voltou a ser internado devido a uma crise de cirrose hepática que incluiu um sangramento no esôfago. Permaneceu no hospital por 17 dias, e recebeu alta para continuar o tratamento em casa. Após nova internação, o ex-atleta assumiu ter feito escolhas erradas em sua vida e agradeceu o apoio das pessoas que torceram e rezaram por ele no momento em que estava hospitalizado.

Sócrates foi um dos maiores craques da história do futebol brasileiro. Ídolo do Corinthians, ele defendeu o clube alvinegro entre 1978 e 1984. Meia de habilidade, o paraense iniciou a carreira no Botafogo-SP na década de 70. Foi um dos principais astros da badalada Seleção Brasileira da Copa do Mundo de 1982, eliminada pela Itália de Paolo Rossi.

—————

Voltar