REBELIÃO NA CADEIA PUBLICA DE CIANORTE

30/11/2011 08:32

 

Cerca de 60 detentos da cadeia pública de Cianorte, realizaram uma rebelião na noite desta terça feira(29), nas Alas C e D, na delegacia terminando somente na madrugada desta quarta feira(30).

O tumulto começou por volta das 22h00 e só terminou depois que Policiais da Rotam, Canil, e equipe de choque, de Cianorte, Maringá e Campo Mourão entraram nas celas e colocaram os detentos para fora.

Segundo Wilson Henriques, chefe da carceragem da cadeia, o motivo que os levou a rebelião foi a falta de água que houve da Sanepar em todo o bairro. “Não faltou água só para eles, faltou em todo o bairro” acrescentou o investigador.

Os presos reclamavam que não tinham água para tomar banho e nem para beber. Com a falta de água na rua, o reservatório da delegacia esvaziou provocando a falta do produto.

Na rebelião cerca de 60 presos do regime fechado que ocupam as galerias C e D, iniciaram o tumulto, quebrando algumas portas de ferro, e quando faltava apenas uma porta para sair no pátio, chegaram os policiais. Eles gritavam e dizia que um dos presos havia sido feito de refém, o que não foi confirmado.

Revoltados, atearam fogo em colchões e quebraram objetos dentro das celas. No momento do incêndio provocado por  eles, a fumaça atingiu outras celas como a chamada seguro, que foi a primeira a ser esvaziada, sendo os presos colocados para fora sob vigilância dos Policiais Militares e Civil.

Com o fogo e a fumaça que se criou, alguns detentos chegaram a passar mal e tiveram que ser  encaminhados ao Hospital Santa Casa para receber atendimento médico. 

O Corpo de Bombeiros foi chamado, por volta das 00h00, para combater o fogo, e estiveram presentes com o caminhão ABTR, realizando os primeiros trabalhos de fora das celas, não podendo entrar nas mesmas, porque até então, o numero de policiais presentes, não era suficiente para dar segurança aos bombeiros. Somente quando chegou o reforço solicitado que foi possível o combate total e resfriamento do local. 

Por volta das 2h00 da madrugada desta quarta feira, a situação parecia controlada, não havia mais sinais de incêndio ou de quebra-quebra. A cadeia de Cianorte, tem capacidade para 40 presos e está com uma superlotação de 180 detentos. O Capitão Baronseli assumiu as negociações, que prometeu levar as reivindicações junto ao Judiciário. Eles reivindicaram melhores condições da alimentação, atendimento médicos e advocatícios.

Após a rebelião, teve inicio os trabalhos de limpeza das celas, tendo inclusive as portas arrancadas pelos detentos sendo colocadas do lado de fora da cadeia. Até que se reforme as celas, os presos seriam colocados em celas ocupadas por outros detentos provocando super lotação nas celas que já estavam com lotação além do normal.

—————

Voltar