JOVEM CONFUNDIDO COM LADRÃO FOI MORTO POR PM EM CIANORTE

01/11/2011 08:09

 

    Claudinei Henrique Andrade, 19 anos, morreu na madrugada de domingo (30) em um hospital de Cianorte após ter sido baleado por engano por um policial militar na madrugada de sábado (29). O rapaz, segundo o comando do 11º Batalhão da Polícia Militar, foi confundido com um ladrão que participou de um assalto a uma agência lotérica na cidade vizinha de São Tomé no dia anterior.

Na tarde de sexta-feira (28) dois rapazes armados e usando capacete invadiram uma lotérica em São Tomé. Eles deram voz de assalto, pegaram cerca de R$ 6,5 mil do caixa e fugiram em seguida na garupa dos comparsas que os aguardavam do lado de fora em duas motos – uma Titan 125 prata e outra vermelha. Depois do roubo, a PM de São Tomé emitiu um alerta para as cidades vizinhas.

 

No início da madrugada de sábado, uma equipe da PM de Cianorte que fazia ronda pela cidade avistou dois rapazes em uma moto semelhante a utilizada na fuga e deu ordem de parada, que foi ignorada pela dupla. "O motociclista acelerou e fugiu da polícia. Na fuga eles avançaram semáforos vermelho e trafegaram na contramão colocando em risco a própria vida e de outras pessoas também. Em um certo momento, o garupa fez menção que iria pegar algo na cintura, foi neste momento que o policial atirou na tentativa de acertar o pneu da moto, mas acabou atingindo o rapaz. Foi uma fatalidade", afirmou o capitão Gilberto Baronseli.

 

O tiro atingiu a região lombar de Andrade, que estava na garupa, transfixou e feriu também o condutor da moto Wesley Kenedy da Silva, 18 anos. Os dois foram socorridos e encaminhados ao hospital por equipes do Siate. Na madrugada de domingo, Andrade não resistiu aos ferimentos e foi a óbito. O motociclista, que segue internado, relatou aos policiais que havia desrespeitado a ordem de parada por não possuir Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Com os dois também foi encontrado 8 gramas de maconha.

 

Segundo o capitão Baronseli, o policial militar foi afastado das funções e um inquérito policial será aberto para apurar o caso. A arma utilizada por ele – uma pistola .40 – também foi apreendida. "Ele está muito abalado com o ocorrido, tem 14 anos de carreira e nunca respondeu a nenhum inquérito", disse o capitão.

 

Capitão Baronseli

 

—————

Voltar