EM MARINGÁ EMPRESA É ACUSADA DE APLICAR GOLPE MILIONÁRIO EM FORNECEDORES E FUNCIONÁRIOS

14/12/2011 09:56

 

O dono de uma distribuidora de bebidas e de uma loja de confecções de Maringá está sendo acusado de aplicar um golpe milionário em fornecedores e funcionários. A denúncia veio à tona no início da tarde de ontem, depois de algumas pessoas comparecerem à 9ª Subdivisão Policial (SDP) para denunciar o ocorrido. A maior parte das vítimas, no entanto, permaneceu em frente às lojas, tentando levantar informações que pudessem revelar o atual paradeiro do empresário, que está desaparecido. 

Incluído na relação de vítimas, o gerente de uma das empresas, Luiz Fernando Vega, 34 anos, explicou que o golpe começou a ser a planejado há cerca de 2 meses, depois de Hermínio José Ventura, 50 anos, alugar duas salas comerciais na Avenida Alziro Zarur, números 1.590 e 1.600, para instalação das empresas Adega Ice, voltada para o comércio de bebidas, e Francis Nere´s Fashion, dedicada à venda de bolsas e confecções. 

Ainda de acordo com Vega, após contratar uma equipe de sete funcionários, Ventura passou a montar o estoque. "Ele pagava tudo à vista, bem como quitou o salário dos funcionários no dia correto", disse o gerente, acrescentando que a fama de bom pagador se espalhou rapidamente. "Eu mesmo emprestei R$ 22 mil em cheques para que ele pudesse quitar alguns imprevistos. Como prova de que me pagaria, ele me repassou a mesma quantia em cheques. Confiei e acabei perdendo tudo", contou Vega. 

Ainda de acordo com o gerente, no mês passado Ventura passou a comprar grandes quantidades de mercadorias, incluindo peças em ouro e prata, máquinas de sorvete, bolsas e outros produtos, que eram estocados nas duas lojas. Os pagamentos, no entanto, passaram a ser feitos com cheques pré-datados, muitos deles com prazo para 30 e 60 dias. 

Há 2 semanas, Ventura avisou que precisava resolver assuntos em Curitiba e parou de ir nas empresas. Desconfiados, alguns fornecedores disseram que chegaram a pensar em contratar seguranças para permanecer de vigília nas imediações das lojas. Não deu tempo. Na madrugada de domingo passado, Ventura estacionou um caminhão em frente às empresas e carregou todo o estoque da loja de confecções, bem como parte das mercadorias mais valiosas da loja de bebidas. 

De acordo com o delegado Leandro Roque Munin, pelo número de vítimas e valores informados, o golpe poderia chegar a R$ 1 milhão. "O problema é que a maioria das vítimas não consegue provar a transação, já que não emitiram nota fiscal", disse o delegado.

 

Arrombamento:

 

A distribuidora do empresário acusado de aplicar um golpe milionário em fornecedores e funcionários de Maringá foi arrombada e saqueada na madrugada desta quarta-feira (14). O golpe aplicado por Hermínio José Ventura, 50 anos, pode chegar a R$ 1 milhão, de acordo com o levantamento inicial feito pela Polícia Civil.

     A Polícia Militar foi acionada por populares por volta de 1h15 e ao chegar na empresa localizada na Avenida Alziro Zarur, no Conjunto Ney Braga, encontrou a porta de aço arrombada e inúmeras pessoas no interior da loja realizando saques. Os invasores fugiram ao avistar a viatura da PM.

Fonte: Odiario

 

—————

Voltar